Banner Laboter

Projetos do Prof. Dr. Manoel Calaça

 

Projeto de Mestrado

A ESPACIALIZAÇÃO DA POPULAÇÃO IDOSA EM GOIÁS E A INFLUÊNCIA NAS DINÂMICAS SOCIOESPACIAIS

Mestranda: Hellen cristina dos Santos

A presente pesquisa tem como tema a Espacialização da População Idosa em Goiás e sua Influência nas Dinâmicas Socioespaciais. O fenômeno do envelhecimento populacional tem se espalhado mundialmente e alcança dimensões expressivas na sociedade brasileira.

Em Goiás segundo registros do censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística , no ano de 1991 a população de 60 anos ou mais era de 230.435 indivíduos, em 2000 essa população subiu para 358.816, entretanto, observa-se que poucos estudos têm explorado as condições que se dão o envelhecimento populacional no Estado. Dessa forma esse projeto de pesquisa pretende espacializar o envelhecimento da população em Goiás, e a partir daí contribuir com o fortalecimento de tomada de decisões no âmbito das políticas públicas, voltadas para a qualidade de vida dos idosos nas regiões onde há uma maior concentração desse segmento demográfico, sem deixar de lado os idosos de outras regiões do estado, pois sabemos que estes, também possuem suas demandas.

Objetiva-se também: Analisar a evolução recente do processo de envelhecimento em Goiás; entender a formação populacional e sua influência na diferença quantitativa dos idosos no espaço goiano; compreender como a relação entre a condição sócio-econômica e a expectativa de vida se espacializa em Goiás; identificar as características sócio-espaciais do envelhecimento populacional no território goiano; evidenciar os indicadores demográficos ligados ao envelhecimento tais como, Densidade Demográfica da População Idosa, Razão de Sexos dessa população, o Ìndice de Envelhecimento, Idosos Analfabetos, Fecundidade, Esperança de Vida, Taxas de Natalidade e Mortalidade, e sua espacialização em Goiás; analisar qualitativamente a situação da população idosa, no município que tenha pouca concentração desse grupo, e no município que registre a maior concentração

 

                                           Projetos de Doutorado

Acumulação integral e precarização do trabalho na agroindústria na Região Sudoeste de Goiás: a constituição do meio técnico-científico-informacional, a exploração da força de trabalho e a natureza das resistências

Doutorando: Lucas Maia

Este projeto de pesquisa visa discutir como o regime de acumulação integral implica em precarização das relações de trabalho no interior dos locais de produção. O regime de acumulação integral é a etapa atual do capitalismo. É caracterizado pelo aumento em escala mundial da extração de mais-valia absoluta e relativa tanto nos países imperialistas quanto nos países de capitalismo subordinado, pelo estado neoliberal e por relações capitalistas internacionais fundadas no neoimperialismo. De um ponto de vista geográfico, vemos que a acumulação integral coincide com a consolidação daquilo que ficou conhecido como meio técnico-científico-informacinal. Em Goiás, a constituição do meio técnico-científico-informacinal se inicia nos anos de 1970 e se consolida na década de 1980. A região sudoeste do estado, devido aos processos de mecanização e industrialização do campo, é a uma das que mais se verifica os objetos constituintes deste meio técnico. Assim, entendendo que a acumulação integral é uma etapa da acumulação capitalista que se inicia no final dos anos de 1970, se consolidando na década de 1980, indagamos: como o regime de acumulação integral intensifica os processos de precarização do trabalho na agroindústria na Região Sudoeste de Goiás? Lançamos como hipótese de trabalho: o estabelecimento da etapa atual do capitalismo implica, no que se refere às relações de trabalho, um aumento considerável da exploração da força de trabalho. Isto implica em processos de precarização das condições de existência do trabalhador. Isto é acompanhado pelo estabelecimento do meio técnico-científico-informacinal. Para responder a estes questionamentos, definimos os seguintes objetivos: geral: compreender a precarização das relações de trabalho na produção agroindustrial na Região Sudoeste de Goiás como formas derivadas dos processos constitutivos do regime de acumulação integral. Específicos: Analisar a constituição e desenvolvimento do complexo agroindustrial em Goiás, como parte constituinte do meio técnico-científico-informacional; Identificar e compreender como o regime de acumulação integral se desenvolve em Goiás de um modo geral e especialmente na agroindústria; Analisar a constituição do complexo agroindustrial na Região Sudoeste de Goiás e em particular o desenvolvimento da agroindústria; Identificar o tipo de cadeia produtiva dominante (leite, carnes, grãos, cana) e suas formas de combinação em cada município da Região Sudoeste de Goiás; Analisar as relações de trabalho presentes nas cadeias produtivas leite, carnes, grãos e cana no interior da agroindústria na Região Sudoeste de Goiás; Analisar as formas de resistência dos trabalhadores à precarização das relações de trabalho às quais estão submetidos na produção agroindustrial na Região Sudoeste de Goiás.